Espaços

27 de mai de 2009

Só, e agora?


Quem nunca se sentiu sozinho? Quem nunca experimentou a agonia de de não ter com quem conversar mesmo num lugar rodeado de pessoas?

Bom, eu já passei por isso, e garanto que não é lá uma das melhores experiências que já tive nessa minha curta vida. 

Algumas partes da vida, gosto de dizer, são parecidas com sala de espera em consultório médico: você está ali, sentando. Ao seu lado tem alguém, mas você não sabe quem. Se olhar bem a sua volta, vai perceber que existem outros seres humanos se entreolhando, mas não surge uma palavra.

Infelizmente essa sala de espera se transportou para o cotidiano das nossas vidas e, em muitas das vezes, o estranho ao nosso lado é alguém que conhecemos.

A arte do "Bom dia!" está morrendo. O "Como está?" tem perdido cada vez mais o seu valor. Pessoas tem recorrido aos mais variados tipos de socorro químico por não encontrarem socorro humano. E, quando a situação piora, a desvalorização do "quem sou" acontece de forma meteórica.

Minha espeança está em Cristo, e ao lado dEle sei que nunca estarei só. Mas é preciso passar isso às pessoas.

FREE HUGS !!!

Não permita que a pessoa ao seu lado se sinta perdida e sozinha. Seja com ela!

Não importa o que ela fez para que os outros não sintam mais prazer em sua prensença. Prove ser diferente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Me deixe feliz, comente!