Espaços

26 de mai de 2009

Onde estive? Onde estão?


Muitas coisas aconteceram de 2008 pra 2009. Coisas boas e ruins, mas não sei porque o ser humano só dá valor às coisas ruins e se torna vulnerável às atrocidades humanas?

Nesses 5 meses em outra galáxia* experimentei as piores dores: a dor do ABANDONO, da HIPOCRISIA e da IMPUNIDADE. Descobri que pessoas matam, por prazer ou por vingança. Que homens e mulheres se cegam ao encontrarem pelo caminho um rosto coberto por lágrimas e não conseguem ver a boca cheia de mentiras e maldições - e na cegueira se transportam à um estado de complacência desmedida ferindo quem já está nocauteado.

No ano que se passou tive oportunidades maravilhosas na selva-de-pedra**. Conheci pessoas que pregavam amor ao próximo, cumplicidade, abraços e beijos sem restrições de sexo/ credo/ cor, sinceridade e amizade. Cheguei a pensar que 2008 seria o melhor ano da minha vida, com as melhores pessoas nos melhores lugares. Acreditei que poderia ser diferente, "agora sim eu consigo me tornar uma pessoa melhor", pensei. Mas me esqueci de lembrar que eles também tem lá suas mentiras e fraquezas. Esqueci de lembrar que, assim como eu, eles também não vivem inteiramente aquilo que pregam, e que, no meu caso, nem se esforçaram pra viver um tal de "AMOR".

Perguntas que não se calaram dentro de mim:
- Onde estão aqueles que diziam que estariam aqui?
- Porque não me ajudaram quando clamei por socorro?
- O que fez com que eles me jogassem no quarto escuro e trancassem a porta?
- Porque eles não quiseram me mostrar, na prática de vida, aquilo que eles pregam tão bem? PROIBIDA A ENTRADA DE PESSOAS PERFEITAS; sendo que eles me trancaram do lado de fora da vida deles?
- Onde estão os que dizem que não importa onde você está, sua história e o que você fez, apenas venha até a gente?
- Onde estão aqueles que diziam que estariam aqui?

Errei, não nego. Pisotiei flores que mereciam estar até hoje num lindo vaso enfeitando a sala de estar. Mas não perdi meus sentimentos e em todo o tempo estive/estou disposta a corrigir meus feitos.

"Mas há males na vida que vêm para o bem".

Nessa nova galáxia* onde me refugiei, redescobri alguns valores simples que já estavam esquecidos. Tais como a grandeza de um abraço, a pureza de um olhar, a magnitude de estar de mãos dadas, o aconchego do colo. Acordei pessoas que adormeceram nas minhas lembranças, e que me sustentaram quando caí.

Nessa nova galáxia* experimentei o AMOR. Não esse amor vendido pelas instinuições e pela mídia, mas o AMOR descrito em 1 Coríntios 13 (e que ainda não havia visto ninguém pratica-lo).

"O AMOR É PACIENTE, É BENIGNO; O AMOR NÃO SE ARDE EM CIÚMES, NÃO É LEVIANO, NÃO SE ENSOBERBECE, NÃO SE CONDUZ INCOVENIENTEMENTE, NÃO PROCURA OS SEUS INTERESSES, NÃO SE EXASPERA, NÃO SE RESSENTE DO MAL; NÃO SE ALEGRA COM A INJUSTIÇA, MAS SE REGOZIJA COM A VERDADE; TUDO SOFRE, TUDO CRÊ, TUDO ESPERA, TUDO SUPORTA. O AMOR JAMAIS ACABA;"
1Coríntios 13: 4-8a


"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã. Porque se você para pra pensar, na verdade não há" Trecho da música Pais e Filhos - Legião Urbana



* termo utilizado para caracterizar as mudanças que sofri;
** referência à metrópole paulista.

Texto oferecido, com carinho e gratidão, às pessoas que fizeram com que eu enxergasse Deus e Seu amor no meio da multidão dos meus erros e enganos, e me amaram de forma singular e extraordinária. O meu muito obrigada aos meus maravilhosos pais e irmãos - vocês foram fundamentais, Marcelo Isaías, Davi e Flávia, Patrícia Carvalho, Vicente e Aline, aos caras da Straigth Nitghmare, Pr. Pc, Diniz, Pr. Cláudio e Rosângela. Vocês fizeram a diferença na minha vida.

Um comentário:

  1. Ana vc vai ter a resposta logo mais quando eu tiver um tempo de escrever sua historia no meu blog. Relaxa

    ResponderExcluir

Me deixe feliz, comente!