Espaços

18 de out de 2013

Hoje eu perdi minha filha

Hoje eu perdi minha filha. Hoje várias mães e pais perderam seus filhos...

Hoje uma família perdeu uma filha. Hoje uma filha perdeu seus verdadeiros pais.

Hoje alguém brincou de deus. Brincou com destinos e sentimentos. Hoje alguém foi cruel. Essa crueldade nos fez perder...

Hoje eu, que já sou mãe,  perdi também. Hoje você que ainda não é mãe, nem pai, perdeu o direito de querer ser especial pra alguém. Hoje, e de hoje em diante, perdemos a oportunidade de salvar alguém; uma criança. Isso foi tirado de nós.

Hoje meu coração está como o de quem perde um sonho. Um filho.

Hoje perdi minha filha, que ainda nem é minha. Perdi a esperança e te-la. Hoje tiraram de nós, mães e pais de coração, a certeza de um dia sermos agentes de transformação na vida de algum pequenino.

Hoje eu chorei. De raiva. De dor. De medo. Chorei.

Minhas lágrimas estavam mais densas, pois vi nessa decisão a incerteza do meu futuro. Hoje meu coração apertou por não saber se vão me deixar apertar as mãos de quem espero.

Hoje senti medo. Hoje eu perdi. Você perdeu.

Hoje eu vi que a justiça pode ser cega, mas não burra. E ela foi burra. Incoerente.

Hoje eu vi uma criança deixar de ser criança para virar número. Estatística.

Hoje eu vi o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e senti nojo por ele ser só um papel cheio de letras bonitas. Eca, credo! Palavras só são vida quando colocadas em prática; ou serão eternamente palavras mortas.

Hoje eu olhei pra minha filha Mariah e pensei na que "procuro". Será que quando eu a "achar" vão me permitir ama-la? Será que a justiça irá brincar de Sorte ou Azar comigo também? A resposta pouco importa pois hoje muitos de nós perdemos nossa oportunidade de sonhar, de fazer e de amar.

Não é apenas a familia da Duda que sofre. Eu sofro. Se você tem coração, você sofre. Se você é pai/mãe, sofre também. Eu sei.

Mesmo assim, sigo crendo que o que se perde se acha. E assim sigo crendo que acharemos nossos filhos. E eles ficarão conosco. E nós os amaremos.

E que as Dudas, Diegos, Marcelas, Paulos, Rafaeis, Vivianes, Danieis, Rebecas, Davis, Joanas e a minha Zoe possam receber o amor guardado no peito de cada pai/mãe que os procura. Que o abandono não se repita. Que a justiça não os maltrate. Não nos maltrate.

Hoje eu perdi minha filha. Mas não vou deixar de procura-la.


#FicaDuda

-----------

Pra quem ainda não sabe, corre em Belo Horizonte/MG uma ação judicial de reintegração familiar. Pais adotivos que tiveram os filhos recolhidos pela justiça sob alegação de maus tratos e abandono requereram a guarda dos mesmos. Seis, dos sete filhos, voltaram para a casa. Os mesmos estavam em abrigos (orfanatos). Porém a caçula, e FILHA de alguém, permanecia sob a guarda da familia adotiva. Porém hoje foi determinado que essa família será desfeita, depois de quase 3 anos de laços, e a menininha será dada à própria sorte, voltando para as mãos daqueles de quem um dia ela fora resgatada.

Entenda mais sobre o caso. Clique aqui.


-----------
Quem sou eu: Sou mulher, esposa, amiga, filha e MÃE. Mãe de uma menininha que eu gerei. Minha Mariah. Mas também sou mãe de uma que ainda nem conheço, mas já sei que espera por mim; e eu por ela. Minha menininha, é o meu objetivo de adoção. Sonho com ela todos os dias. A procuro. Não sei quando ela virá. Talvez já. Talvez mais tarde. Mas virá.


25 de jul de 2013

Nadamos e não morremos!

                               


Ganhou. Meu Deus, o Galo ganhou! O título impossível, aquele que no fundo, bem no fundo, o atleticano já cogitava morrer sem comemorar, como muitos que morreram e não viram. O título da nossa redenção definitiva, a conquista que vai nos ensinar, de novo e de novo, que desistir não vale. Que a justiça, seja dos homens ou de Deus, ela pode falhar e tripudiar da gente – mas que tem uma hora que nem ela se aguenta, e nessa hora ela não falha.

Escrevo estas linhas das cadeiras do Mineirão, outrora as arquibancadas onde aprendi a ser homem. O jogo acaba de acabar, e eu não caibo em mim de felicidade e merecimento. Cada atleticano ao meu lado carrega uma aura em torno de si, uma luz que brilha dos olhos e do coração. A história de cada um deles será diferente a partir de hoje. O amor que floresce em cada uma dessas pessoas nesta noite – pretos, brancos, pobres, ricos – vai tornar o mundo mais justo e humano. Eu quero ter braços gigantes pra abraçar todos eles e dividir a maior emoção das nossas vidas.

O Galo campeão não cabe no jornal, não cabe no Mineirão – o Galo campeão não cabe no atleticano, e por isso precisamos chorar e chorar e chorar. E colocar pra fora 42 anos de uma espera e um amor que só quem torce pra essa entidade pode compreender. Eu me lembro do Vilibaldo Alves em 71: “Quareeeeeenta e cinco minutos!!! As lágrimas escorrem do meu rosto! O Galo é campeão, de fato e de direito! O campeão do Brasil!”. Lembro o Willy Gonzer, e espero que ele tenha narrado sozinho, na sala do seu apartamento, o título que eu quis tanto ouvir na sua voz. Obrigado, Willy. Obrigado ao time todo, por tudo que fizeste por nós nesta noite, que, pra sempre, pra todo o sempre, vai corresponder ao meu ideal de felicidade. Obrigado ao atleticano que me abraçou no Mineirão quando o Sérgio Araújo empatou aquele jogo contra o Flamengo na Copa União. A gente depois perdeu. Agora, é inacreditável, a gente ganhou. Merecimento pouco é bobagem.

Obrigado, meu Deus. Obrigado, Atlético, por me proporcionar a maior emoção da vida. Que eu duvido que alguém já tenha sentido igual, se não for Galo como estes 60 mil aqui do meu lado.

Obrigado, meu Galo querido. Já posso enfartar em paz.




Fred Melo Paiva

12 de fev de 2013

Ê, vidão!


Ah, o carnaval... Gente bêbada, dançando coisas estranhas, vestindo roupas engraçadas, pegando e transmitindo doenças que nem sabem os nomes... Isso é que é vida boa!


"Depois de 9 meses você vê o resultado [...] SEGURA O TCHAN!!"






31 de jan de 2013

A vida é tão rara...


"Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates, nos bares, levanta os braços, sorri e dispara: “eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também”. No entanto, passado o efeito do whisky com energético e dos beijos descompromissados, os adeptos da geração “tribalista” se dirigem aos consultórios terapêuticos, ou alugam os ouvidos do amigo mais próximo e reclamam de solidão, ausência de interesse das pessoas, descaso e rejeição. A maioria não quer ser de ninguém, mas quer que alguém seja seu. Estes, desconhecem a delícia de assistir a um filme debaixo das cobertas num dia chuvoso comendo pipoca com chocolate quente, o prazer de dormir junto abraçado, roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade, carinho e amor. Namorar é algo que vai muito além das cobranças. É cuidar do outro e ser cuidado por ela, é telefonar só para dizer bom dia, ter uma boa companhia para ir ao cinema de mãos dadas, ter alguém para fazer e receber cafuné, um colo para chorar, uma mão para enxugar lágrimas, enfim, é ter alguém para amar… Somos livres para optarmos! E ser livre não é beijar na boca e não ser de ninguém. É ter coragem, ser autêntico e se permitir viver um sentimento."
ARNALDO JABOR

27 de jan de 2013

A maior tragédia das nossas vidas

Morri em Santa Maria hoje. Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça. 

A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta. 

Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa. 

A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27 de janeiro de 2013. 

As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada. 

Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa. 

Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio. 

Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda. 

Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência.

Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa. 

Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram. 

Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo? 

O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista. 

A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados.

Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro.

Mais de duzentos e quarenta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos.

Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal. 

As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso. 

Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu.

As palavras perderam o sentido.

Fabrício Carpinejar

26 de jan de 2013

Família

A gente pode brigar, mas se ama. A gente pode ficar triste, mas não existe maior alegria do que quando estamos juntos. Família não tem que ser perfeita, tem que ser REAL. E eu tenho uma família realmente abençoada, feliz e muito animada! Obrigada, família, por esses dias maravilhosos no paraíso! Ser solteira, viajar com amigas e curtir "baladas" é muito bom; mas ter um marido e filha que me completam é divino. Nada se compara a alegria de estar com vocês, rir, chorar, abraçar e ver minha pequena em sua primeira aventura marítima. Simplesmente, não tem preço!

11 de jan de 2013

"Obrigado"

Ouvi dizer que hoje é dia do "Obrigado". Pois bem, já que é pra entrar na onda, tenho uma lista de "obrigados" para fazer. Mas antes quero deixar claro que essa atitude de dizer "Obrigado" deveria ser mais que uma comemoração anual. Devemos ser gratos a tudo e todos, até mesmo àquilo que não nos agrada. Devemos ser gratos por respirar, andar, falar, ver e sentir. Gratidão é muito mais que uma palavra, é um estilo sustentável de vida. "Obrigado" tem que ser um hábito saudável, não um diferencial de educação.

Uma pessoa grata não significa que seja uma pessoa educada, mas sim que seja uma pessoa de caráter. E, por favor, não confunda sorrisos e educação com caráter.

-----
Meus 7 "Obrigadas!" à vida!

Começo dizendo muitíssimo Obrigada!, Deus, por dar seu único filho pra morrer por mim. Amor como o Seu eu nunca vi, e acredito que nunca verei. Obrigada! por me amar mesmo sem eu merecer, sem eu fazer por onde.

Obrigada! ao meu marido, que sempre está ao meu lado. Antes mesmo de namorado, um grande amigo e companheiro. Você foi e sempre será especial. Obrigada! por me fazer sorrir e chorar; por me abraçar; por me levar pra passear e por assistir "enlatados" comigo (sei o quanto você odeia, risos); por me levar com você nos seus sonhos; por compartilhar comigo suas fraquezas e me ajudar nas minhas; por nunca ter desistido de nós; por ter lutado muito pra me fazer feliz; por ter me brindado com uma filha realmente especial, linda e que expressa o amor de Deus. Obrigada! mil vezes.

Obrigada! aos meus pais que me param quando eu faço besteira (ou estou perto de fazer). Obrigada por me perdoar, amar, cuidar e, acima de tudo, sempre me ensinar todos dias algo novo e melhor. Vocês com certeza são meus melhores exemplos.

Obrigada! aos meus sogros, que me adotaram como filha. Me amam, cuidam, defendem e até "puxam-orelha", como filha. É muito gostoso sentir isso tudo!

Obrigada! aos meus irmãos, que são cada um do seu jeitinho especial, mas sempre presentes. Amigos melhores não existem.

Obrigada! aos meus poucos, bem poucos, mas sinceros amigos. Aqueles que estiveram comigo quando o "mundo" decidiu que eu era "persona non grata". Você somaram ao meu alicerce e me mantiveram viva, confiante e segura.

Obrigada! à você, que comenta no blog. Mas não à você, pessoinha que comenta coisas ruins e se acha o umbigo do mundo. Obrigada! à quem demonstra apoio, companhia.


9 de jan de 2013

"Uma parte de mim ainda é uma garotinha sonhadora, cheia de expectativas e amante de finais felizes [...] Mas a outra parte, aquela que domina meu interior, abriu os olhos para si mesma e descobriu em suas mãos a capacidade de ser uma mulher forte, intensa e determinada" 
Autor desconhecido


Crescer requer de nós tempo e disposição. Conheço meninos de 40 anos e homens de 20. Cresce quem quer. A maturidade vem para quem a deseja e a conquista. 

Crescer me faz descobrir todos os dias que não existe pré-determinação. Eu faço meu caminho, minhas escolhas, meus erros e acertos. Sou eu quem vai ditar minha felicidade ou tristeza. 

Cresça! Pode até doer, mas vale a pena. Mas, por favor, não abandone os "contos de fadas", pois eles nos levam a uma terra de sonhos e fantasias, e podem inspirar nossa realidade! Encontre seu equilíbrio entre sonhos e realizações.


Bom restinho de semana!!!

1 de jan de 2013

Across the universe...

Primeiro post do ano. O primeiro depois de muitos meses longe. Por que tão longe? Simples: precisava de um tempo para colocar minhas idéias em ordem, meu coração em calmaria e meu espírito em liberdade.

Mas vamos falar do NOVO. Do ANO NOVO. Mas, o que tem de novo além da substituição de um número? 2 por 3. Só! E se você não despertar o NOVO dentro de você, será só isso mesmo.

De ontem, 31 de dezembro, pra hoje, 01 de janeiro, ouvi tantas promessas, lições e pedido de perdão. Tomara que essas pessoas realmente sigam. Mas eu sou prova viva de que a gente nunca segue o diz à meia noite. 

"Prometo retomar o inglês, não pensar mais no ex, não comer chocolate por causa da TPM (e não xingar ninguém desnecessariamente por conta da mesma). Prometo que vou fazer por onde emagrecer, deixar a preguiça de lado e me cuidar. Vou pensar mais em mim, mais em você e lutar mais por nós. E blá, blá, blá!"

Quem não se viu nas linhas acima já alcançou o Nirvana. É sempre assim.

Mas esse ano, pelamordeDeus, tenta algo NOVO, de verdade. Eu tenho tentado. Decidi que 2013 será o meu ano. Não estipulei nada, apenas quero fazer com que nesse ano NOVO eu tenha coisas NOVAS. Já comecei por mim. 

NOVOS pensamentos
NOVAS conquistas
NOVOS desafios

Apenas quero coisas novas. Deixar em 2012 aquilo que lhe pertenceu e adentrar 2013 vazia (até de alegrias), para que Ele me encha e me faça de NOVO. 

Agora, se for pra refletir, então lá vai:

- Minha casa ficou pronta e agora moramos no nosso cantinho;
- Fiz a festa dos meus sonhos pra minha filha (1 aninho);
- Comemorei feliz mais um ano de casada;
- Devolvi aos céus o meu vovô amado;
- Revi(vi) amigas queridas dos tempos de faculdade (Gabi, Bulé, amo vocês);
- Comecei e parei um milhão de dietas malucas;
- Nenhuma delas deu certo;
- Comecei emagrecer sozinha (e fiquei assustada e feliz);
- Mariah colocou o primeiro gesso da sua "carreira mirim", trincou o pé (!);
- Construí meu primeiro móvel de madeira (meu sofá é lindo, sustentável e enoooooorme);
- Dedetizei o passado de uma vez por todas (tchau baratas);
- Sorri, chorei, briguei, abracei... SONHEI e alcancei;

Assim foi o meu ano! E em 2013, espero novas aventuras, novos amores com o mesmo homem (te amo, marido), NOVO NOVO NOVO! E 2013 alegrias!



Um beijo pra 2013!