Espaços

15 de jul de 2009

Um dia após o outro









Ninguém pode julgar o caráter de uma pessoa baseado no seu erro, mas sim baseando-se na sua trajetória após o ocorrido.







Tive a péssima idéia de cometer erros consciente de que estava errando e, como era de se esperar, paguei/pago por eles. A única coisa que as pessoas se esqueceram foi que não se pode julgar um caráter pelo erro cometido, mas sim pelo caminho trilhado por quem errou. Se houve arrependimento, disposição em mudar e esforço para crescer, como afirmar que essa pessoa é "ruim"?


Pense: Uma pessoa é extremamente espiritual. Faz parte da equipe de louvor, tem um namoro segundo Cristo, é ativa e participante dos eventos da sua igreja local. De repente algo acontece em sua vida e sua fé se abala. Ela entra por um caminho de dor e morte, sem se dar conta que tantos risos pela noite resultarão em choro pela eternidade. Muitos tentam conversar e mostra-la que ela está errada. Por fim ela decide trilhar seu caminho errado sozinha e sem Deus.


Agora outro caso: Uma pessoa nunca foi "flor que se cheire", apesar de ser muito presente em sua igreja local. Participa de todas as reuniões e até se arrisca trabalhando em alguns ministérios, mas continua com seus errinhos de estimação. De repente essa pessoa despenca do seu mundo de faz de conta e se depara com a realidade dos seus erros. Procura imediatamente alguém mais maduro para que possa lhe dar uma direção e lhe mostrar como não errar mais e, se possível for, reparar os erros já cometidos.


Agora me responda: Quem você acha que será mais "paparicado"?

Infelizmente afirmo que o primeiro caso tem privilégio, afinal, seu passado é limpo e não há que se levantar, o que não acontece no segundo caso.
Mas eu afirmo, com toda segurança que alguém pode ter, que esses casos são idênticos.

Não podemos julgar uma pessoa pelos seus erros. A única diferença é que de um lado houve arrependimento e mudança de atitude, portanto PROVAVELMENTE essa pessoa esteja moldando o seu caráter de acordo com o caráter de Cristo, enquanto o outro trilha o caminho contrário. Mas ambos precisam de atenção, carinho, amor e exortação - um para voltar a ser como antes (um instrumento nas mãos de Deus) e o outro para trilhar seu caminho sem os erros do passado.

Um comentário:

Me deixe feliz, comente!