Espaços

10 de mar de 2010

Ele era apenas um colega


Ele era apenas um colega. Nos víamos aos sábados, quando eu ia encontrar alguns amigos para brindar a vida. As coisas eram fáceis e simples. Não haviam "segundas intenções" nem fingimento. Ele era apenas um colega. Um dentre tantos que se encontravam naquelas tardes de sábado.

Ele era apenas um colega, mas se tornou um amigo sem que eu pudesse perceber. Aos poucos ia descobrindo verdades sobre ele, e ele disvendava meus segredos. Por mais que não fosse mais um colega, permanecia apenas como amigo.


O tempo passou, a vida mudou. As pessoas que tínhamos ao nosso lado de foram, e nos restou a cumplicidade de nossa tenra companhia.
Devagar foi se formando um laço de três dobras, desses que não se soltam.

Encontrei, no até então amigo, um ombro confortador para impedir que minhas lágrimas tocassem o chão. Quando me dei conta, o que antes era apenas fraternal, se transfomou no maior dos amores.


Hoje sou grata por te-lo ao meu lado e poder compartilhar minhas dores e vitórias. Sei que ele sempre terá a mim e eu sempre o terei.


Tudo passa, tudo muda, mas o amor permanece intocado.

Um comentário:

  1. Ai Flor, que declaração de amor mais linda. Apaixonante!!! Sugiro agora um novo artigo "quem é a Jacqueline e como desvendá-la" que tal? Bjos, flor

    ResponderExcluir

Me deixe feliz, comente!