Espaços

15 de ago de 2011

Limpe sua janela


"Um casal recém chegado a um determinado bairro se prepara para o primeiro almoço na casa nova. Sentados à mesa, ao olhar para fora, a mulher percebeu que sua vizinha estendia roupas e comentou: Olha, amor, nossa vizinha está colocando lençóis sujos para secar. Dias se passaram e a mulher sempre fazia o mesmo comentário: Como pode nossa vizinha colocar para secar roupas ainda sujas? Alguém precisa lhe ensinar a lavar suas roupas. Aproximadamente um mês se passou e, em um belo dia, a mulher navamente olhou pela janela e ficou surpresa: Veja, nossa vizinha finalmente aprendeu a lavar suas roupas. Repare como estão limpas. Quem será que a ensinou? Ao que o marido respondeu: Ninguém a ensinou. Eu lavei os vidros de nossa janela hoje! "

Quantas vezes julgamos o outro sendo que o "defeito" está em nós. Somos cínicos, "abusados", maldizentes, mas cometemos os erros que tanto apontamos como sendo imperdoáveis/intoleráveis. É mais fácil dizer que as roupas da vizinha estão sujas e que ela não sabe como limpá-las do que perceber ou assumir que o que está realmente precisando de uma faxina são os vidros de nossas janelas. Temos uma visão distorcida das coisas por não compreendermos que nossos vidros são o que nos possibilitam de enxergam a vida. Se eles não forem bem cuidados, nunca veremos o que realmente existe.

Em Mateus 7:3 está escrito: "E porque reparas tu no cisco que está no olho do teu irmão mas é incapaz de perceber a trave que está no teu olho?"
Temos que para de dizer o que estão nas pessoas e começar a refletir se aquilo está mesmo no outro ou é apenas o meu reflexo distorcido e eu não percebi?

2 comentários:

Me deixe feliz, comente!